Asset Publisher Asset Publisher

Back

Núcleo Erer realiza pesquisa para identificar técnicos, docentes e discentes indígenas da UFPE

Objetivo é construir um banco de dados sobre essa população na UFPE para subsidiar ações direcionadas

O Núcleo de Políticas de Educação das Relações Étnico-Raciais (Núcleo Erer) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) está realizando uma pesquisa para identificar os técnicos, docentes e discentes indígenas. Para participar, basta responder ao formulário eletrônico. É preciso estar logado com a ID UFPE, usando o e-mail institucional. A ação é parte de um conjunto de iniciativas para o Abril Indígena 2021 e tem o objetivo de construir um banco de dados sobre essa população na UFPE para subsidiar ações direcionadas para os indígenas e pensar formas de visibilizá-los.

De acordo com a professora Conceição Reis, coordenadora do Núcleo Erer, as outras atividades previstas para este mês incluem uma mesa de debates com lideranças indígenas para discutir as problemáticas que atravessam a vivência indígena na UFPE e promover a importância da autodeclaração indígena e entrevistas com membros indígenas da comunidade universitária da UFPE para dar visibilidade às suas produções e pesquisas. Também haverá divulgação de informações sobre algumas temáticas indígenas nas páginas do Núcleo Erer no Facebook e no Instagram. 

“A importância das realizações de ações indígenas é dar visibilidade para os povos indígenas, principalmente, os que estão dentro da UFPE, uma vez que o mês de abril é importante para algumas populações indígenas. Não é só no mês de abril que pretendemos abordar as temáticas, a ideia é uma linha constante de abordagem dos temas e que seja dada voz aos povos indígenas e suas lutas. Pretendemos desenvolver ações para potencializar a inserção, assistência e permanência das etnias nos três campi da universidade”, explica a coordenadora.

“O diálogo com as organizações indígenas é uma das metas que estamos travando. Queremos construir um núcleo que esteja além dos muros da Universidade. Reconhecemos a importância do diálogo com as 14 etnias indígenas do Estado de Pernambuco e estamos buscando esses contatos e também essas etnias que estão dentro da UFPE. Não é algo que iremos parar após o fim do mês de abril. As pautas dos povos indígenas precisam ser abordadas com urgência na luta ao combate ao racismo para que assim possamos efetivar uma luta antirracista e que potencialize a equidade na Universidade”, destaca.

Date of last modification: 15/04/2021, 18:12